terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Policiais militares que mataram auxiliar da Polícia Civil disseram que houve troca de tiros

Um tenente e um soldado da Polícia Militar do Maranhão prestaram ontem, segunda-feira (01) depoimento na Superintendência de Homicídios, em São Luís e confessaram que foram os responsáveis pelo assassinato do auxiliar da Polícia Civil Salomão Matos dos Santos (foto abaixo), 32 anos, vítima de tiros de pistola no pátio da UPA do Parque Vitória na quinta-feira, dia 28 deste.

Auxiliar de perícia da PC, naquele dia, estava vindo da cidade de Pinheiro, onde participou de um velório. Era no período noturno quando ele pegou um carro lotação que estava indo para o Parque Vitória e percebeu que um carro estava na cola e pediu ao motorista que entrasse no estacionamento da UPA. A vítima saiu do carro correndo para se esconder, mas foi alvejado por duas vezes e morreu no local.

A defesa dos militares alegou que houve troca de tiros e que eles estavam participando de uma operação para localizar e prender os assassinos do tenente-coronel Ronildon, morto por bandidos na tarde da última quinta-feira (28).

Confira abaixo a nota da defesa dos militares:

“O Escritório Ferreira, Quirino & Baldez vem, através da presente nota, informar que seus constituintes apresentaram-se de forma espontânea e voluntária para colaborar com o desfecho mais preciso das investigações, que certamente concluirão que a lamentável morte do Senhor Salomão Matos trata-se de uma tragédia consequência do ataque brutal ao Tentente-Coronel Ronilson, ocorrida sob o pálio da legítima defesa, visto que um dos constituintes apresenta lesão cutânea decorrente de disparo de arma de fogo deflagrado felizmente contra o colete que utilizava no fatídico dia. Aproveita para esclarecer que se manifestará nos autos”, diz a nota da defesa dos militares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade