domingo, 24 de janeiro de 2021

Mãe de jovem morta diz que Covid ”esfarelou o pulmão”, tristeza muito grande

A voz embargada ao telefone durante entrevista resume um pouco do drama que a auxiliar de limpeza Solange Cristina Ferreira, de 41 anos, vivenciou durante a pandemia de Covid-19. Moradora de São José do Rio Preto (SP), Solange viu a filha Lauane Cristina Ferreira de Moraes, de 23 anos, morrer por complicações provocadas pelo novo coronavírus.

“A doença foi paralisando o corpo todo dela. Os médicos me diziam que o pulmão dela estava esfarelando e ficando como uma bucha de lavar louças. Foi um choque muito grande quando recebi a notícia da morte da minha filha. Ela não tinha nenhuma comorbidade. Era totalmente saudável”, desabafa. A auxiliar de limpeza conta que Lauane morou um ano e três meses em Londres. No entanto, decidiu voltar para o Brasil em 3 de junho.

Dez dias depois de chegar ao município do interior de São Paulo, a jovem começou a apresentar sintomas associados à Covid-19 e resolveu procurar ajuda.“Ela fez exames. O resultado apontou que ela estava com as plaquetas baixas. Então, minha filha foi ao médico, que falou que era dengue. Quando o plantão foi trocado, outro médico disse que minha filha poderia estar com Covid-19, mas marcaram o exame para dias depois”, relata.

“Chamamos uma ambulância, mas ninguém apareceu. Então, o namorado a levou para uma unidade de saúde. Depois, ela foi transferida para o Hospital de Base, onde foi entubada instantaneamente”, afirma. Solange diz que colheram o material genético de Lauane para fazer o exame de coronavírus somente quando a jovem estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Minha filha ficou 48 dias internada, lutando contra a doença. Ela morreu em 23 de agosto. Minha vida nunca mais foi a mesma. Estou com pressão alta. Choro praticamente todos os dias. Queria que ela me enterrasse. Não ao contrário”, afirma.“Ela era uma menina encantadora e batalhadora. Tinha comprado uma casa, móveis, carro, tudo. Ela começou a trabalhar muito cedo. Filha de mãe solteira, ela se virou a vida inteira”, completa.Ainda abalada com a perda precoce, Solange revela que não teve coragem de se desfazer do imóvel comprado pela filha. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade