terça-feira, 13 de julho de 2021

EXCLUSIVO: DELEGADO DE CODÓ NÃO PEDIU PRISÃO DE PM MESMO SABENDO DE HISTÓRICO VIOLENTO

Na matéria a seguir aqui neste blog, vamos relatar sobre o caso do policial militar Gilgleidon Pereira Melo, que era lotado no 24° BPM de Coroatá e foi acusado de assassinar a namorada a tiros no último dia 04-07-2021, naquela cidade.  O crime chocou a população que esperava uma reposta.

 APÓS O CRIME

Segundo o que o BLOG DO MAYLSON REIS apurou, como nossos leitores podem acompanhar no documento abaixo conseguido com exclusividade, o acusado Gilgleidson Pereira Melo se apresentou na Delegacia Regional de Codó no dia seguinte ao crime, ou seja, dia 05 -07-2021. Em seu depoimento, como mostra abaixo o documento, ele relata o que aconteceu e diz também que foi o autor dos disparos, mas não sabe se foram os mesmos que atingiram sua companheira Ana Carolina. Ele relata que não conseguiu identificar as pessoas que estavam rodeando o sítio, apenas viu vultos, mas não explicou com mais precisão.

                                                 CONFIRA MAIS ABAIXO O BOLETIM DE OCORRÊNCIA

O boletim de ocorrência não mostra com detalhes como o fato aconteceu, isso por se tratar de uma letra muito inferior a qualquer outra.

APÓS OUVÍ-LO, O DELEGADO LIBEROU

Como mostra o depoimento e o boletim de ocorrência acima adquirido pelo BLOG DO MAYLSON REIS, quem ouviu o autor dos disparos foi o delegado plantonista em Codó, Dr. Benedito Pessoa de Castro Júnior, titular do 1° DP de Codó, que estava de plantão. A cidade de Coroatá estava sem delegado naquela noite e por isso o PM Gilgleidson Pereira Melo teve que dar seu depoimento em Codó. O mais estranho de tudo é que, após ouvir o depoimento do PM, o delegado de plantão liberou o autor dos disparos mesmo ele confessando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade