domingo, 6 de junho de 2021

Quanto custa se vacinar nos EUA contra a Covid-19

Não tem jeito, este virou um dos assuntos do momento: a vacinação contra Covid-19 de turistas nos EUA. Desde o momento em que a liberação de vacinas em solo norte-americano foi liberada para visitantes de outros países, as pesquisas e cotações de viagens aumentaram consideravelmente e todo mundo quer saber quanto custa se vacinar nos EUA.

Com a vacinação contra a Covid-19 caminhando lentamente no Brasil, muita gente com dinheiro no bolso começou a cogitar a ideia dessa viagem.

Nosso intuito com este texto é apenas informativo, já que é possível encontrar notícias na internet informando que se vacinar nos EUA contra a Covid-19 custa, em média, R$ 50 mil por pessoa que saiu do Brasil até lá com ajuda de agências de viagens.

Vale ressaltar que nos Estados Unidos a vacina da Johnson & Johnson, a Janssen, é aplicada em dose única, no país norte-americano.

Vamos às regras para brasileiros

A primeira coisa que o viajante precisa saber é que pessoas que saem do Brasil com o objetivo de se vacinar contra a COVID-19 nos EUA devem, obrigatoriamente, fazer uma quarentena de 15 dias no México.

Isso é necessário porque os Estados Unidos não permitem a entrada de pessoas que tenham transitado pelo Brasil 14 dias antes do desembarque em solo norte-americano.

Sendo assim, será necessário planejar essa pausa, bem como cotar o valor de um PCR no México, já que para entrar nos EUA é necessário apresentar teste negativo para COVID-19.

É necessário ser maior de 16 anos para se vacinar nos Estados Unidos.

Quanto custa se vacinar nos EUA contra a COVID-19: simulação

Abaixo, fizemos uma simulação básica apenas para você ter uma noção de valores de quanto uma viagem para se vacinar nos Estados Unidos poderá custar.

Os preços médios foram cotado, pesquisando valores para apenas uma pessoa, levando em consideração que a quarentena será cumprida exclusivamente dentro do hotel.

O roteiro seria:

Teste PCR no Brasil para embarcar para o México
Passagem apenas de ida para a Cidade do México, saindo de São Paulo
Saída em 15 de junho de 2021 de São Paulo
Hospedagem de 15 dias obrigatórios de quarentena no México
Passagem de ida, saindo do México, para Miami
Hospedagem de um dia em Miami
Passagem de volta de Miami para São Paulo
Seguro viagem obrigatório
Gastos com alimentação
Gastos com transporte

Quais sites usamos nas pesquisas?

Passagens pesquisadas no Google Flights
Hospedagem pesquisada no Booking.com
Seguro viagem cotado no Assistente de Viagem
Gastos com alimentação econômica no próprio Quanto Custa Viajar
Gastos com transporte encontrados no próprio Quanto Custa Viajar
Teste de PCR: valor médio encontrado no G1

Valores encontrados

O teste PCR particular, em média, custa R$ 200 no Brasil. A passagem aérea encontrada, saindo de São Paulo para Cidade do México, ficou no valor de R$ 2.362 pelo Copa Airlines.

A hospedagem que usamos na cotação foi no Ibis Mexico Alameda que custa R$ 2.333 para os 15 dias com café da manhã. Existem centenas de opções que passam facilmente de R$ 14 mil.

Os gastos com alimentação na Cidade do México, de acordo com nossa calculadora, são de: R$ 31,77 por almoço e R$ 41,03 por jantar.

Será necessário fazer o teste PCR para entrar nos EUA. O valor médio é de R$ 340. Os gastos com transporte na Cidade do México vão variar com a distância. Mas reserve pelo menos R$ 30 por corrida no Uber.

Depois da quarentena, é hora de cotar a passagem aérea do México para Miami. Encontramos no Google Flights o valor de R$ 707 pela Volaris.

Em Miami, cotamos o valor de apenas uma diária no Hampton Inn & Suites by Hilton Miami Downtown/Brickell, no valor de R$ 1.605, com café da manhã.

Alimentação fica em torno de R$ 80,50 no almoço, R$ 98,39 no jantar e o transporte reserve pelo menos R$ 75 por Uber.

Passagem de retorno de Miami para São Paulo: achamos no valor de R$ 1.327 pela Avianca.

O total da viagem para se vacinar nos EUA para uma pessoa? A partir de R$ 10.487!

É importante lembrar que ainda existem os custos de emissão de passaporte e do Visto para os EUA que não estão inclusos nessa simulação.

Em Miami, existem várias tendas nas praias para a aplicação de vacinas. Basta o viajante apresentar o passaporte para receber uma dose. Quem preferir pode fazer um agendamento online para ser vacinado com hora marcada.

A maioria das pessoas está recebendo a vacina da Janssen, da Johnson & Johnson, que requer dose única. Mas, atualmente, o país também oferta vacinas da Pfizer e Moderna.

Conflito ético

É impossível não falar de vacinação nos EUA, que custa caro, sem falarmos de conflitos éticos. Não seria um problema viajar para fora do país para se vacinar em situações normais. O problema é o momento. Se tem tanta vacina sobrando lá, por que não enviar o excedente para tantos outros países que precisam?

Todo mundo sabe do risco de ficar horas e mais horas dentro de um avião, por mais que seja necessário apresentar o PCR negativo para sair do Brasil, sabemos que falsos-positivos podem acontecer.

O fato é que uma minoria de pessoas pode se dar ao luxo de gastar ao menos R$ 10 mil para se vacinar nos EUA. A gente sabe que o gasto não fica só nisso, só no “modo basicão”, porque quem tem essa grana e pode ir para lá apenas para se vacinar vai ficar mais tempo no país, vai turistar.

A chance de “furar a fila” não vai resolver o problema do mundo. A pandemia só é vencida com o esforço coletivo.

(As informações são da Imprensa Nacional)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade