terça-feira, 27 de abril de 2021

Criminalidade e violência explodem em Codó e assombram a população

Jovem que foi esfaqueado ao tentar separar uma.briga

A cada ano a criminalidade e a violência vêm em franco crescimento no município de Codó. No entanto, a partir deste ano o registro de ocorrências violentas e a sua divulgação na mídia digital está assombrando as famílias codoenses. Quadrilhas de roubo de veículos não param de atuar, guerra de gangues pelo controle do tráfico de drogas geram brutais assassinatos e com isso a população se sente impotente e desprotegida. Uma das causas da escalada da criminalidade é a falta de contingente para a policia civil de Codó, onde existe um déficit muito acentuado de delegados e agentes, principalmente em relação a outras grande cidades, como Caxias.

Praça São Sebastião (terra de ninguém)

Nos últimos meses a Praça São Sebastião, cartão postal de Codó e recanto de lazer das famílias, virou uma verdadeira praça de guerra, onde gangues se encontram e tiram suas diferenças, em atos de selvageria, vandalismo e crimes que estão afugentando a todos. É claro que o contingente necessário de Polícia Militar e Polícia Civil é uma questão de segurança pública, que é responsabilidade do Governo do Estado. No entanto, a prefeitura de Codó, poderia e deveria colocar a Guarda Municipal em atuação, para a segurança dos munícipes e não deixar que uma grande área de lazer, como a Praça São Sebastião, vire terra de ninguém.

Nossos policiais são guerreiros mesmo sem condições e com contingente pequeno, eles estão na rua e prendendo aqueles que se acham dono da razão e tentam colicar panico na população codoense.

Os comerciantes não estão vendendo mais porque as pessoas de bem estão deixando de ir devido essa guerra que um dia é tiro no outro é facão  como mostra o jovem que foi esfaqueado no ultimo domingo .

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade