sábado, 13 de fevereiro de 2021

MORTE DO COMERCIANTE MARQUINHOS: DELEGADOS DA HOMICÍDIO ENCERRAM INQUÉRITO QUE INVESTIGA POLICIAIS MILITARES EM BACABAL. TODOS OS DETALHES DA POLICIA INVESTIGATIVA FOI ENVIADO PARA A COMARCA DE SÃO LUIS GONZAGA DO MARANHÃO. ASSISTA.

 

O inquérito contem 400 laudas e já foi enviado ao Poder Judiciário. O anúncio foi feito pelos delegados Jeffrey Furtado, Chefe da Delegacia de Homicídios do Interior, Lúcio Reis, Chefe da Superintendência de homicídios e proteção à Pessoa - SHPP e Carlos Renato, delegado regional da 16ª DRPC/Bacabal, no dia 11 de fevereiro de 2021, por volta das 17 horas, em uma coletiva de imprensa na 16ª Delegacia Regional de Policia Civil de Bacabal Maranhão.

Na quinta-feira 11/02/2021, findou o prazo de 10 dias para a entrega do inquérito. Porém, as investigações continuam. Foram ouvidas 40 pessoas dentre elas policiais militares.

Os PMs investigados foram indiciados por: abuso de autoridade, tortura, tortura seguida de morte, fraude processual, ocultação de cadáver e tentativa de homicídio.

O CASO

No dia 01 de fevereiro de 2021 policiais militares do Grupo de Serviço Avançado - GSA (policiamento velado) da Polícia Militar do 15º BPM/Bacabal, levaram as duas vítimas; Marcos Marcondes Nascimento Filho, de 40 anos e José Ribamar Neves Leitão, supostamente investigando um crime de furto e respectivamente receptação de semoventes, no caso carneiros. Ainda naquele dia foram desenvolvidas pela delegacia regional de Bacabal, ações no sentido de descobrir o paradeiro das duas vítimas, Com o achado do cadáver de Marcos Marcondes, isso já no começo da manhã do dia 02 de fevereiro de 2021, a Delegacia Geral de Polícia Civil e a Secretaria de Segurança Pública determinaram a Superintendência Estadual de Investigações de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), que encaminhasse as equipes de investigações e desse apoio as averiguações já iniciadas pela 16ª DRPC, e isso foi feito. Uma equipe chegou de helicóptero e outras por terra. Já no começo da manhã do dia 02.02.2021, foram inicialmente ouvidas algumas testemunhas pelo Chefe do Departamento de Homicídios do Interior – DHI, Jeffrey Furtado. 

Em seguida, foi realizada a vistoria no local onde o corpo da vítima Marquinhos foi encontrado. Nesse momento, já foi dada voz de prisão aos suspeitos; Francisco Almeida Pinho (Ten. PM), Gilberto Custódio dos Santos (Sgt PM), Marcelino Henrique Santos Silva (CB PM), Rogério Costa Lima (CB PM e Robson Santos de Oliveira (CB PM), sendo os cinco (5) policiais suspeitos apresentados na 16ª DRPC, junto com as 5 (cinco) armas de fogo e os três veículos utilizados na ação. 

Inicialmente todos os PM’s foram autuados em flagrante pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver. No transcorrer da investigação, os peritos conseguiram coletar imagens, provas materiais e testemunhais que enriqueceram o inquérito e a tipificação foi alterada. Já no relatório final os suspeitos foram indiciados por; abuso de autoridade, tortura, tortura seguida de morte, fraude processual, ocultação de cadáver e tentativa de homicídio. 

Foi enviado ao Poder Judiciário o inquérito policial com cerca de 400 laudas onde descreve totalmente a dinâmica de como tudo ocorreu.

Os cinco (5) policiais presos em flagrante continuam no presídio da PM (Manelão) em São Luís - MA, aguardando a decisão da Justiça.

ASSISTA A COLETIVA DE IMPRENSA: O INQUÉRITO QUE INVESTIGA PMS CONCLUI QUE HOUVE TORTURA E MORTE. AGORA É COM A JUSTIÇA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade