quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

Mesmo em ano de pandemia, Campanha Natal Sem Fome ainda consegue 780 cestas-básicas para famílias de Codó

Foi um ano muito difícil para a campanha NATAL SEM FOME que em Codó está completando 17 anos de existência. As dificuldades para arrecadar atrasaram até a entrega que sempre ocorreu antes do Natal.

 “Foi o problema da pandemia que causou todo este transtorno na nossa programação, nós tivemos que arrecadar alimentos mais tarde, praticando distanciamento, evitando aglomerações e foi difícil a gente conseguir estes alimentos”, explicou Eliel Lima, da Associação Pestallozzi.








Em 2020, quem fez a diferença,  já que as equipes não puderam pedir de porta em porta,  foi a doação de empresários e  o que veio da central da campanha  no Rio de Janeiro. Com isso, foi possível formar 780 cestas-básicas.

 “a gente esperava entregar pelo menos umas mil cestas este ano, mas infelizmente não foi possível (…) Enquanto nós tivermos forças e enquanto nós tivermos vivos estaremos por aqui lutando para que este movimento do natal sem Fome ele não pare por aqui”, disse Edmilson Martins, do Grupo Ágata

O que foi possível conseguir é muita coisa na casa de várias famílias, a exemplo de dona Maria Domingas

“porque eu tenho um menino especial lá em casa e aí eu agradeço a Deus e todas as pessoas que as vezes me dão essa ajuda, pra mim e meu filho, eu agradeço e a Deus”

É, por exemplo, o que seu Raimundo  Nonato Nunes Filho não podia comprar hoje.

 “Eu fico agradecido porque se eu fosse comprar ela no momento era uns R$ 30 ou R$ 40 e aqui já tá apurado, então eu me sinto feliz”

A entrega foi respeitando as orientações sanitárias contra a COVID-19 e foi realizada no prédio do Tiro de Guerra que é um dos parceiros da campanha junto com Pestalozzi, Grupo Ágata e Rotary Club que, mais uma vez, viram cumprir a missão de ajudar.

 “Porque na certeza, Acelio, as vezes a gente não tem condição de comprar nem um pacote de flocão de milho, aí a gente agradece muito (…) que é uma alimentação saudável para nossos filhos, principalmente pra mim que perdi minha filha vai fazer dois anos e eu fiquei com meu neto e necessito muito dessa ajuda”, concluiu dona Leninha da Conceição Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade